I Predict a Riot

sábado, julho 19, 2008

Toda a verdade: Mona Lisa (com som)

Que segredos esconde? Que verdades nunca antes reveladas permanecem no anonimato? Será Mona Lisa quem nós realmente pensamos?

Apurar a verdade e fazer justiça é não permitir que a investigação seja desviada dos seus objectivos essenciais, é levá-la até ao julgamento e punição dos culpados. Este artigo - com bolinha - não visa disseminar qualquer ideologia, religião ou organização... pretende apenas denunciar e pôr a descoberto aquele que para muitos é (pausa).. o oitavo segredo de Fátima. Mas não se pense que foi fácil chegar até ao segredo [...] foram precisos meses de escutas telefónicas, meses de leitura, meses de imolação e oblação pessoal para que no fim .. a verdade pudesse vir ao de cima. Quero os meus leitores informados, quero os meus leitores sabedores da verdade, quero fazer dos meus leitores autênticos mestres.. quero que saibam em primeira mão todas as alíneas deste imbróglio. Depois da leitura deste artigo, o leitor ficará a saber quem foi na verdade Mona Lisa, o que fez, por que projectos batalhou e muito mais.

"Mona Lisa. Com toda a certeza, o segredo mais bem guardado de sempre."

Por ano sete milhões de iludidos têm o estranho hábito de se deslocarem até Paris (França), mais precisamente ao Louvre, com o objectivo claro de verem de perto a obra de arte mais fascinante e discutida da história do ser humano - a Mona Lisa. Reparem que uso o vocábulo "iludidos" com alguma mágoa... na verdade a história que circula pelos corredores do Louvre não passa duma perfídia, um embuste. A verdade, essa, será dentro de momentos revelada.

Prefácio

Na verdade a figura que surge numa das mais imortais pinturas da história da humanidade não se chamava Mona Lisa "Gioconda" - esse era apenas mais um nome artístico tal como Osama Bin Laden, Lydia Barloff ou Belle Dominique. A figura pintada por Leonardo da Vinci que pode ser vista numa parede do Louvre, chamava-se António Bernardes e era português.

Um Pouco de História.

13 de Janeiro de 1490, Oliveira de Frades.
12h09 - Dna. Estefânia Bernardes dá à luz um exemplar robusto com 4.508 Kg, de seu nome António Bernardes.

Filho de um trabalhador do campo, foi criado no seio de uma família pobre, austera e sem educação. As dificuldades eram muitas mas o pequeno António aspirava a voos de outra estirpe... com apenas sete anos de vida deu provas de se tratar de um sobredotado. Desenvolveu técnicas de marear mais eficientes do que as existentes até então, criou procedimentos de exploração alternativos, inventou instrumentos como a bússola girascópica, astrolábio, nocturlábio [...] perante tamanho portento, perante tamanha genialidade foi uma questão de tempo até ter sido apelidado de "menino prodígio" por todos os aldeões.

Tal maneira notáveis foram os seus feitos que semanas mais tarde .. um representante da coroa real portuguesa se deslocou a Oliveira de Frades com uma proposta para a família Bernardes.

« Carta d'el Rey D. Manuel I, 3 de Julho de 1497.
Snõr vimos por est meio solicitare que nôs venda seu filho, António Bernardes, a troco obviamente de ojetos e valores. A corte portuguesâ partiráa em breve para a Índia numa expediçaaõ - por mares nunca d'antes navgados - e pretendemos ter seu filho connosco junto com os seus cnhecimentos maritimos avançados. Para o recompensare por este prejuizio oferecemos três ovelhas, quatro vacas e duas cabras. Esperamos que compreenda, o seu filho estará acompnhado por bravos homeës que tudo farão para um dia regressare em paz acasa. »

Sem como dizer não .. a proposta foi aceite. Bernardes partiria dentro de cinco dias para a Índia, juntamente com Vasco da Gama.

8 de Julho 1497, Rio Tejo, Lisboa.
15h00 - Partem na demanda da Índia 4 náus (São Gabriel, São Rafael, Bérrio e São Miguel).
António Bernardes, bem como o próprio Vasco da Gama, lideram uma armada de 150 homens - entre marinheiros, soldados e religiosos - todos com um objectivo em uníssono ... glória

Pois é, os meses passaram…
Bernardes, esse, aos olhos da tripulação era agora tido como pedra-de-toque. Os cépticos dissuadidos pela maturidade, sapiência, altivez e brio do pequeno Bernardes não hesitaram e conferiram-lhe o epípeto de "Visionário". É que Bernardes, mesmo estando em pleno Oceano, a milhares de quilómetros de casa, continuava a inventar/desenvolver técnicas náuticas de calibre francamente excêntrico. Entre as quais um mapa detalhado, cosmografia, o nónio, oitante, Kamal, a biruta e o udógrafo.

17 de Abril de 1498, no meio do Oceano índico.
21h00 - O azar acabaria por bater à porta de Bernardes.

Depois de ultrapassados diversos e medonhos obstáculos, depois de vencidas batalhas terríveis, o pequeno Bernardes, agora com oito anos, cai desafortunadamente ao mar. Ventos ciclónicos e uma chuva densa impossibilitavam qualquer tentativa de salvamento - o pequeno Bernardes corria perigo.

Bernardes estava a braços com um grande problema: se por um lado se lembrava de alguns contornos do seu mapa, por outro sabia que jamais conseguiria fazer o percurso de volta. A somar às suas preocupações estava o facto de não ter comida, estar frio, ser noite, só ver estrelas e desconfiar que as jangadas e os coletes salva-vidas ainda não tinham sido inventados.

Bernardes toma então a decisão da sua vida:
Não vou voltar para trás! Vou atalhar caminho! Vou para Itália!
Decidido, inicia então vigorosas braçadas ao rumo 022 (para os leigos é NE) até à posição geográfica 13º55’20’’N 054º10’11’’E (WGS84). Desconfia-se que ainda ultrapassou a nau durante a noite, porque os registos da passagem da nau por esta posição só ocorreram em 24 de Junho de 1498, data de chegada de Bernardes a Birkat al Mashur.

Pergunta o leitor atento… como é que Bernardes chega da posição geográfica 13º55’20’’N 054º10’11’’E a Birkat al Mashur ?

Aí está…Bernardes com o seu instinto cedo revelado, serpenteou com precisão, a Península Arábica, Corno de África, Djibouti, Etiópia, Eritreia, Egipto entrando pelo estreito de Bab el Mandeb e o Golfo de Aden até à península do Sinai.
Chegado a Birkat, Bernardes procurou pela passagem para o mediterrâneo. Nickles! Não havia! Danado, inicia então aquela que viria a ser a primeira dragagem do futuro "Canal de Bernardes", que em 17 de Novembro 1869 viria a ser inaugurado, em sua homenagem, com o nome de Canal do Suez (não se consegue descobrir a razão para a alteração do nome, supõe-se que terá derivado de uma alcunha árabe atribuída a Bernardes, dado que "As suaysz" em árabe, significa “o homem que caiu da nau”.

A 29 de Outubro de 1498, Bernardes chega finalmente a Port Said, às portas do mediterrâneo.
Inicia então mais uma etapa, desta feita, nada vigorosamente 605 milhas náuticas ao rumo 313 (para os leigos é NW) até á posição geográfica 37º54’57’’N; 23º00’34’’ (WGS84). Mais uma vez, empreendedor, inicia a difícil tarefa de atravessar um país a nado. No caso a Grécia.

Tudo isto porque não pretende dar a volta à Peloponésia para chegar à Bella Itália.
Bernardes inaugura o segundo Canal de Bernardes com o retirar da primeira pedra em 17 de Novembro de 1498. Mais tarde em 1893 este canal viria a ser oficialmente inaugurado em sua homenagem, com o nome de Canal de Corinto. Corinto (em grego korintus ) significa “aquele que abre canais”

Daqui a Itália foi mais um pulinho de 170 Milhas náuticas.

Bernardes conseguira salvar-se depois de ter estado quase dois anos a nadar. Fantástico!

A História por trás da História.


Ao chegar a Itália, Bernardes, era um homem extraordinariamente musculado e por estar encharcado tinha a roupa "colada" ao corpo. Para os homens do renascimento isto era o suficiente para o quererem levar para casa - tudo para fins de trabalho, claro. Fica aqui um exemplo:

Renascentista (Escultor): Larga-o, que eu quero esculpi-lo.
Renascentista (Pintor): Larga-o tu, porca, que eu quero pintá-lo.

Bernardes: Ó senhores não me puxem..

Renascentista (Pintor): Mas eu quero pintá-lo!
Renascentista (Escultor): Mas eu quero esculpi-lo!

Bernardes: (Des)larguem-me (português antigo) os braços que eu estou a nadar há dois anos seguidos senhores.

Renascentista (Pintor): Pintá-lo!
Renascentista (Escultor): Esculpi-lo!

Bernardes: Toma!

António Bernardes acabaria por os músculos recém adquiridos a render desancando dois renascentistas à pancada e ingressando como porteiro na Capela Sistina. Não estou a falar da Capela Sistina cujo tecto foi pintado por Miguel Angelo, não .. falo da Capela Sistina - a danceteria mais famosa da Roma renascentista. Foi na «Danceteria Capela Sistina» que Leonardo da Vinci - famoso pintor, inventor, matemático, escultor, arquitecto, físico, escritor, engenheiro, poeta, botânico e músico - descobriu António Bernardes.

Com aparência madura e robusta era Bernardes (9 anos de idade) o responsável pelos clientes que entravam no estabelecimento. Um certo dia .. Bernardes viu-se em apuros [...] um salteador estava a roubar um velho homem (aparentemente alguém famoso) em pleno estabelecimento. Bernardes ciente dos perigos que corria lançou-se que nem um beduíno para cima do ladrão e ... voilá missão cumprida! Depois de dominado e vencido .. o ladrão revelou a sua identidade - era o Sr. da Vinci !
Envergonhado, humilhado e vexado .. Leonardo da Vinci não teve alternativa - suplicou por clemência, afinal de contas era o seu bom nome que estava em causa. Por fim chegaram a um acordo .. da Vinci faria um retrato do faustoso António Bernardes.

Moral da História

não sei.

Sadness - Enigma
_________________________________
Cuidado com os teleféricos.

9 comentários:

'stracciatella disse...

Moral da história:
"Todos diferentes, mas todos iguais."

Pelo menos era sempre esta a moral das histórias que me contavam..

***

crude na ilha do pessegueiro disse...

Gostei!...A saga de Bernardes será para continuar? Que outras viagens alucinantes terá este rapaz? Aguardo por novos episódios...

Fred disse...

Fartei-me de rir quando li isto! ESTÀ DEMAIS! É de loucos!

kobe24 Ric disse...

está fantástico puto, fiquei sem palavras- Foda-se até as lagrimas me vieram aos olhos. Tu qdo queres até me sabes tirar o mau feitio AHAHA

Catarina disse...

Este episódio está demais pá!

Teresinha disse...

Se existe atitude que me salva do
- dia de gente tão séria -
é este teu mordaz sentido de humor.

De rebolar e despregar bandeiras!

Beijo!

natacha disse...

Está brutal ivanzinho!
Quando é que voltas de Sines?

Beijo

kaiaznar2002 disse...

Ivan,

Essa lenda tem algum fundo de verdade ou é tudo mesmo imaginação? Que imaginação... Muito showww...

Ivan Mota disse...

95% da história foi imaginação. Contudo há partes históricas que fiz questão de manter, como o facto de "Mona Lisa" aka António Bernardes ter sido um estrondoso explorador, inventor, cientista e matemático. O que conta foi o gozo que esta "historia" me deu a escrever. Diverti-me muito. E obrigado pelas suas palavras kaiaznar ;)

  © Blogger templates Newspaper by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP