A Discriminação

terça-feira, fevereiro 23, 2010

«Princípio da Igualdade - 2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.» - Artigo 13.º da Constituição da República Portuguesa.

Antes de tudo, importa dizer, aqui e agora, que sou contra qualquer tipo de discriminação. Feita esta nota introdutória, de carácter metodológico, tenho a dizer que é com algum amargo de boca que tenho, nos últimos tempos, visto a "luta" cair no exagero, no ridículo e, não poucas vezes, num profundo e descabido abuso de Direitos. Na minha despretensiosa opinião, por respeito à História e às muitas batalhas vencidas, quer no que respeita ao racismo, por um lado, quer à discriminação sexual, por outro, penso que deveríamos abolir - de imediato - qualquer tipo de discriminação - ainda que esta seja 'inconsciente'. Fará algum sentido, pergunto-me, que existam ginásios exclusivamente femininos? Que sentido faz que Homens e Mulheres, numa saída à noite, paguem valores diferentes? Regra geral, os que outrora foram discriminados pela sociedade, tendem, por vezes, embora inconscientemente, a cair no erro de descriminar. Enquanto cidadão português, ao abrigo do artigo 13.º/nº2 da Constituição Portuguesa, arrogo-me no Direito de entrar e usufruir de um ginásio exclusivamente feminino e de pagar o mesmo que as mulheres numa discoteca. Homens unamo-nos! Não dessa forma que estão a pensar [...] é preciso acabar com estas injustiças.
_______________________
Cuidado com os teleféricos.

17 comentários:

'stracciatella disse...

O exemplo da discoteca é um dos mais flagrantes, sem dúvida.
(E um ginásio só de mulheres é demasiado monótono. :P)

Lady Me disse...

Acho que nem eu iria a um ginásio só para mulheres! Quanto às entradas nas discotecas, acho que tens razão!

Diana disse...

tou de acordo com aquilo que dizes.
Apesar de rapariga que sou, e apesar de até me dar jeito pagar menos de consumo mínimo/entrada nas poucas vezes que saio á noite, devo admitir que, no que respeita á igualdade de direitos tão aclamada pelas mulheres ao longo do tempo, este "favorecimento" é desigual perante os homens!!

Desde já te felicito pelo teu blog, conheci-o através do menu namorado (o teu colega Diogo - blog: operação qualquer coisa - que te elogiou bastante) e realmente tens um dom natural para a escrita! =]
Parabéns!

mary disse...

estava ainda à pouco a pensar nesta questão da discriminação... no entanto, revolta-me muito mais que, por exemplo, aqui em portugal, pessoas nao sao contratadas para trabalhar porque falam o portugues do brasil, ou porque têm tatuagens na cara ou no braço inteiro ou seja o que for, que para mim é uma discriminação total...

Quanto aos ginasios, eu percebo. São feitos pensados num mercado alvo, que são as mulheres que preferem o exercicio fisico longe do olhar critico dos homens. Ou seja, sao as mulheres que escolhem estes ginasios, e nao o ginasio que foi feito para escolher so as mulheres e discriminar os homens. O mesmo se passa com escolas que podem ser mistas, ou so para rapazes, ou so para raparigas... São os pais que escolhem por os filhos nestas escolas, não foram as escolas a ser mandadas construir por alguem que discriminasse um dos sexos. É segmentação de mercado...

Bom, quanto as entradas nas discotecas... Acho mal, sim... não há razão para não ser o mesmo preço.

Kika disse...

Mesmo o facto de os rapazes pagarem mais para entrar nas discotecas tem explicação... Isto acontece por variadíssimos motivos:
Um deles (e antes de todos) é a selecção "natural" - teoricamente (deveria) resulta(r)-, não entra qualquer malabruto... Se não entra qualquer "um", elas sentem-se mais à vontade para ir à discoteca - ainda por cima pagam menos... Se pagam menos, vão mais... Se vão, e em grande número, "eles" pagam qualquer coisa para ir também... E a discoteca só tem a ganhar!!! Tudo uma questão de conquista e de marketing...
Acho que pode ser uma perspectiva.


Mas dá-me taaaaaanto jeito ser rapariga, admito!!! E A D O R O alguns dos privilégios que temos!!!
E... Há que haver distinção!!! E não te sabe bem que haja? Já faz parte do teu instinto macho (ehehe). Todos os actos "cavalheirescos" que podes ter/fazer são fruto dessa falta de igualdade. Não me digas que não és cavalheiro...!!!

Wilson disse...

No domingo passei por um ginásio só para mulheres e perguntei a mim próprio se as mulheres se sentem assim tão incomodadas num ginásio misto.

No meu andam lá mulheres e nós, homens, não andamos lá a babar-nos e a observar fixamente o rabo delas.

ritinha disse...

Concordo inteiramente contigo.
É ridiculo que se façam discriminações, mesmo sendo puras estratégias de marketing !
Há discriminação.
E há pessoas que por vezes acham que têm que ser tradas de maneira priveligiada para que não acusem outro da dita discriminação.
Mas esta é uma luta de séculos !
Quando conseuimos que certas discriminações desapareçam, aparecem outras.
Infelizmente, faz também parte da dita evolução ...

Lourenço disse...

Muito a fazer sem dúvida, então em Portugal só à paulada!

Anônimo disse...

Eu não entendo esta questão das igualdades, porque todas as mulheres falam em igualdade, mas como pode haver igualdades quando se tratam de seres diferentes?

Mulheres... nascemos diferentes, logo temos que ser diferentes, ok?

.migas disse...

mas o que é isto? em que pais é que estamos? o que é que vocês mulheres querem mais? vocês já têm tudo todos os direitos e até mais do que os homens.

por um Portugal à antiga!
um abraço

Jojozinha disse...

olha eu concordo que paguemos menos na noite da mulher, mas também reconheço que deveria haver a noite do homem com as mesmas condições.

quanto aos ginásios, que vantagem tem ver só raparigas??? credo, não faz nada bem às vistas... -.-

Brid disse...

Eu concordo contigo, especialmente no que toca à entrada das discotecas xD Isso é tão descabido, não há razão nenhuma para os homens pagarem mais. E quanto aos ginásios... eu nem sabia que isso existia xD Prefiro desporto ao ar livre ehehe

Marisa disse...

Eu até concordo com o que dizes... mas acho que há outros tipos de discriminação (não digo mais importantes, mas mais) urgentes de se resolver. Em relação aos emigrantes, por exemplo.
Seja como for, ainda há um grande caminho a percorrer antes da total queda de todo o tipo de preconceitos... :/

Kika disse...

Em muitas discotecas também há o dia do "homem".

Mariana marciana disse...

Não posso deixar de discordar... o facto de nós "gajas" pagarmos menos (ou até nada) é um dos actos mais machistas que há, passo a explicar o esquema:
"As gajas consomem, por norma, muito menos que os gajos, CONTUDO, cada "gaja boa" atrai uma quantidade significativa de gajos com vontade de "tentar a sorte", LOGO, os "pedaços de carne" entram à pala para atrair a "caça grossa"
Não me parece muito cavalheiresco...

Quanto ao ginásios, algumas mulheres são muito self-conscious dos seus corpos e sentem-se mais à vontade sem homens... mas concordo que é discriminação vedar a entrada de alguém.

A descriminação está por todo o lado, desde a forma como criamos esteriotipos sobre grupos sociais à forma como julgamos e agimos com base nesses mesmos...

ps- ao contrário do que parece, não sou feminista, apenas acho que o motivo oculto de determinados privilegios não nos favorece enquanto PESSOAS o que não me impede de beber de borla toda a noite ;)

mulher do bulhão com bigode à hitler disse...

Lamento dizer-te mas se os homens e as mulheres tivessem de ser iguais em tudo, não haveria esta distinção de "homem" e "mulher", ou seja, numa sociedade ambos desempenham papéis diferentes e não pode ser de outra forma. Se assim fosse também discriminaríamos a homossexualidade uma vez que esta demonstra que não existe diferença no amor (quanto ao sexo). O que eu quero realmente dizer é que os sexos devem ser iguais no que respeita à liberdade e ao direito de viver a vida; no entanto, não acho descabido pequenas distinções que a sociedade realmente efectua.

- Tal como não vemos uma mulher nas obras, também não vemos um homem de empregado doméstico. E não me chamem feminista, se faz favor.

jpdl disse...

Concordo totalmente. Se é para lutar pela igualdade é para ir até ao fim. Eu estou totalmente in! É que isso das discotecas nem serviços equivalentes oferecem aos homens... eu já por isso as boicoto desde sempre mas é injusto o facto de essa discriminação simplesmente existir. Also essa dos ginásios femininos é ironico quase ninguém reclama ativamente com eles mas houve uma polemica do caraças por haver uma barbearia em Lisboa que barrava a entrada a mulheres... que hipocrisia que anda por ai. O Igualitarismo não pode conhecer excepções em espaços publicos/abertos ao publico (a não ser claro que a pessoa não possa usufruir do serviço I guess, tipo um homem cissexual ir ao ginecologista :/ )

  © Blogger templates Newspaper by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP