Une Merveilleuse Journée

domingo, junho 08, 2008

Rock in Rio Dia 6 - Review

Um dia muito quente. Demasiado quente. Toda a conjuntura indicava que não ia ser fácil para os fãs aguentar horas e horas na primeira fila para ver os seus ídolos de perto. Sombras nem vê-las, filas intermináveis para onde quer que fosse.. o recinto, sabia-se há muito, estava esgotadíssimo.

Decidi precocemente que não iria perpetrar, aquela que se previa ser, a maior e mais ousada tolice de toda a minha vida - ir para a primeira fila. Não o fiz. Decidi - em vez disso - dar uma volta de reconhecimento pelo recinto na tentativa de o re-conhecer. Eram 17h00. E contudo, para onde quer que olhasse, para onde quer que me virasse.. via filas intermináveis. Entrei !

Não foi preciso esperar muito para perceber que no campeonato das t-shirts, os Linkin Park pareciam ser, naquele momento, os vencedores. Eram imensas as t-shirts, imensos os gadget's, imensos os símbolos alusivos à banda - o meu nível de adrenalina disparou.
Depois de uma criteriosa e exaustiva inspecção ao recinto, senti que os meus níveis de adrenalina estavam - sem razão aparente - a disparar novamente. O concerto de Orishas estava a começar.. eram exactamente 18h49.

Fantastique!

20h16. Seguiram-se os Kaiser Chiefs. Correcção: Os grandes Kaiser Chiefs.
Com uma moldura humana largamente superior - apesar de à mesma hora estar a actuar Buraka som Sistema no Set - à de Orishas, com um som mais comercial e próprio do dia em questão, os Chiefs não querendo deixar os seus créditos em mãos alheias (...), fizeram das tripas coração e deram ao seu público aquilo que eles queriam ver. (análise brevemente).

Merveilleux!

[...] Quando os britânicos abandonaram o palco, a tensão subiu. Eram 21h30. O público sabia que eram os Muse que aí vinham. E quando vieram, o chão tremeu. Pleno de emoção, a tocar grande parte dos álbuns, a provocar gritos de anticipação aos primeiros acordes das músicas. Supermassive Black Hole, ou outros êxitos, como Knights of Cydonia, Hysteria, Map of the Problematique, Starlight, Stockholm Syndrome, Time Is Running Out , Plug In Baby (a minha preferida) fizeram o público regozijar de folia e agradecer aos deuses por ali estarem. (análise brevemente).

Extraordinaire!

Os Offspring.. 00h15. Posso resumir todo o concerto numa simples e humilde palavra: "sentado". Mesmo com grandes hits (dizem..) - Pretty Fly (For a White Guy), Self Esteem e All I Want - já não são do tempo de hoje. Fica a recordação e pouco mais. Au revoir.

Ok!

Por fim o momento da consagração - Linkin Park. Consegui muito graças ao mosh, do qual me fui auxiliando, chegar à barreira metálica de separação entre as plateias. Posição mais central era impossível - tudo jogava a favor... só faltavam eles, os cabeças de cartaz. Foi preciso esperar 40 minutos para que viessem, mas quando vieram.. deram o melhor concerto da noite. Começou.. e que começo! "What I've Done" abriu as hostilidades.. a Bela Vista entrou em erupção. O chão tremeu, o ecoar das vozes propagou-se a centenas de metros, confirmava-se a previsão. Aquele era o "dia". (análise brevemente).

Absolument fabuleux ! Exceptionnel! ... Singulier.

Antes de finalizar - para esmifrar definitivamente o cabedal - dei mais um passeio e ainda fiz uma paragem obrigatória na barraquinha dos "sumos", a Missão Rock in Rio estava oficialmente cumprida.

Depois de ver Linkin Park, Muse, os Chiefs, depois de ver sapatos a voar, depois de ver celebridades, depois de ter estado a 3 centímetros do Mike Shinoda, depois de ver coisas absolutamente inacreditáveis.. sei que valeu a pena.

Em 2010 - 2012, e 2014... - há mais seus foliões.
____________________________________
Cuidado com os teleféricos.

11 comentários:

Sofia disse...

Foi sem dúvida um GRANDE dia do rock in rio... um dos melhores!

Foi fantástico poder olhar à volta e ver todo o pessoal a saltar, cantar... a curtirem cada momento dos concertos! Nunca tinha imaginado tanta gente no mesmo sítio. Eram quantos? 95.000? É realmente fabuloso.

Fiquei toda pisada e cheia de nodoas negras.... mas este sofrimento compensou bastante ao ver os excelentes concertos que passaram pelo palco mundo.
Quanto aos outros palcos, nada vi. Estava mais preocupada em arranjar um lugar bem perto das bandas no palco mundo!

Também de resto o rock in rio... mais parecia uma feira, não percebo o porquê de tanta mariquice! Supostamente quem vai, vai pelas bandas (digo eu, pelo menos é o que deveria ser).

Uma palavra para descrever este dia: EXCELENTE!

Carlos disse...

E Linkin Park foi de sonhos mesmo, os homens são os reis mesmo, e entraram logo a abrir com a What I've done, quando comecaram a Numb e a Faint passou-se tudo e no fim depois de tocarem a In the End..."YOU GUYS WANT SOME MORE?" e no fim One step closer...Das melhores noites da minha vida mesmo!!

venha 2010!

DNO disse...

The Offspring.. Não sei o que se passou, mas a qualidade de som estava bastante manhosa. E não achei nada de especial. Tocaram aqueles hits, o pessoal saltou um bocadito... Eu cá fiquei sentado a jogar às cartas e a comer snikers.

Em relação a Linkin Park aquele encore fez-me delirar

Enfim. O RiR foi espectacular

(Self) Esteem disse...

Tenho poucas palavras para descrever este dia. Quanto a mim, foi o melhor dia da história dos festivais em Portugal, superando inclusivamente aquele grande dia do Rock in Rio em 2004, com Metallica, Incubus, Slipknot, Sepultura...quanto a mim, este dia foi ainda superior a esse.

O dia começou com os Orishas que aqueceram o pessoal. Na verdade, não vi o concerto, mas do que vi, tiveram melhor do que eu esperava e melhor que há dois anos.

Depois a vez dos Kaiser Chiefs. Perdão, dos KAISER CHIEFS. Que concertão! Se eu antes já gostava muito desta banda, a partir de dia 6 vou a qualquer concerto que dêem em Portugal, porque uma banda e, principalmente, um vocalista com aquela atitude não existem em todo o lado. Uma boa banda de estúdio que se transforma numa banda quase perfeita ao vivo. Um dos melhores concertos que já assisti e certamente um dos mais surpreendentes. Saltei, gritei e cantei o concerto todo. Felizmente, escolheram as 4 melhores músicas do último cd para o alinhamento.

E quem vinha a seguir? Os Muse, claro...Um concerto inferior ao do Campo Pequeno, obviamente devido a terem menos tempo de actuação. No entanto, foram mais agressivos, mais directos e não deram tanto espaço para as músicas mais calmas, o que na minha opinião foi positivo. Faltou a Muscle Museum, mas são os Muse de sempre. Fantásticos em palco, perfeitos tecnicamente e pôr toda a gente vibrar...não acredito que naquela zona onde eu estava alguém não tivesse saltado no Time Is Running Out...a não ser os fãs de The Offspring...

E esses eram os senhores que se seguiram. Os Offspring desiludiram algumas pessoas, mas a mim não. Quem conhece BEM os Offspring sabe que nunca foram uma banda de muitos saltos em palco, nem muito mexidos em palco, principalmente o Dexter e a verdade é que isso voltou a acontecer, embora tenham comunicado com o público apresentaram uma setlist, que com o tempo que tinham, foi quase perfeita, fantástica. Gostava de ter ouvido outras, como Original Prankster (não percebo os que não gostam desta música por ser muito comercial, mas adoram a Preety Fly...eu gosto das duas, tou-me bem a cagar se são comerciais), Million Miles Away, She's Got Issues, Walla Walla, Hit That ou Why Don't You Get a Job. Mas a verdade é que o tempo não chegava para tocar tudo o que eu gostava de ouvir de The Offspring. As duas músicas novas resultaram bastante bem ao vivo, com Hammerhead a parecer já um hit. Uma banda definitvamente a rever, espero que lá para Setembro/Outubro se lembrem que existe um Pavilhão Atlântico em Portugal.

Por fim, os Linkin Park. É daquelas bandas que ao vivo..se transforma. São uns montros de palco. Torna-se bastante superior, atinge outras proporções e consegue pôr toda a gente cantar êxitos antigos e recentes. É verdade que não gosto de algumas músicas tocadas neste concerto...nomeadamente a Shadow Of The Day, Valentine's Day ou a Leave Out All The Rest (tudo baladas)...mas a atitude dos LP é fantástica! tiveram maior interacção que no ALIVE talvez por terem mais tempo, mudaram a setlist, a ordem das músicas e ainda apresentaram novos arranjos. Um concerto muito, muito bom!

Ivan Mota disse...

Tens razão Sofia. Mas o negócio "rock in rio" precisa de "bancas" estilo feira para promoções, publicidade. É um evento demasiado valioso para ser deixado de lado. As grandes (e pequenas) marcas estão lá. Depois ficará ao critério de cada um ... "perder-tempo" ou ganhá-lo em frente ao palco.

Digam o que disserem o dia 6 foi o melhor de sempre. Superior mesmo ao de dia 3 de unho de 2006 (Da Weasel, Orishas, Kasabian, Red hot Chilli Peppers). Obrigado pelo comentário.

'stracciatella disse...

Isso, Ivan, semeia a inveja e a cobiça naqueles que não puderam estar presentes..! :X

***

LP disse...

Eu adorei ver os Linkin Park!!!!O concerto foi unico, espectacular, lindo...
Quando o Chester entrou no palco, eu nao me contive e desatei a xorar...

Continuem axim, voxes xao lindos!!!!!

Tatxi Caixinha disse...

BRUTAL MESMO!Tive nas grades laterais com o Shinoda..DE ARREPIAR! L.P PARTIU TUDO!

Ivan Mota disse...

Tiveste com o shinoda nas barras laterais? Então estiveste ao meu lado .. ele parou mesmo à minha frente (também) no "a place for my head".

Limpissimooo!

costinha disse...

Bem que te tentei encontrar nesse dia... mas com tanta gente.. impossível... já tive sorte em ir porque me ligaram as 18.30 a perguntar se queria um bilhete. e com uma granda pinta, aceitei, claro xD. cheguei lá pas 20.30. ainda curti os kaiser chiefs e os Muse partiram aquilo tudo. ainda criei uma moxada com mais 2 amigos meus... mas encontrar-te a ti e ao carlinhos bala... impossível, mesmo!

depois fui pa tenda electrónica e foi sempre a bombá-las até as 5h da manha xD

grande abraço companheiro

Ritz B' disse...

Gosh, que dia!
Vai ficar para a história Ivan, mesmo ;)

  © Blogger templates Newspaper by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP