A Azáfama

quarta-feira, maio 06, 2009

«Ó Maria, ouve esta! Está aqui a dizer no jornal que a esperança média de vida de uma ratazana é de dois anos. Mas isto deve ser engano. A filha do «João dos copos», sabes? Tem um rato lá em casa há mais de cinco anos. Ainda dou eu dinheiro para ler estas coisas..»

Não me venham com cantigas meus senhores. Nos dias de hoje, muitos são aqueles que insistem que o tempo deve ser aproveitado ao máximo, vivido como se não houvesse amanhã e desfrutado intensamente. Nada mais errado. Existe um tempo para tudo e, verdade seja dita, se ele existe deve ser respeitado e cumprido à risca tal qual como uma ordem do chefe. Já dizia o meu progenitor (e com razão): Rapaz, se quiseres viver até aos cem anos, vive a tua vidinha com calma. Lembra-te que há tempo para tudo.. e agora toca a estudar! E sabem que mais? Tinha toda a razão. Estudos recentes indicam que a longevidade das espécies está relacionada com o seu metabolismo; significa isto que quanto mais acelerado for o metabolismo, de uma espécie, mais reduzida será a vida da mesma. Por outras palavras, quanto mais gasto de energia - menos tempo de vida. Exemplos: moscas e ratos. Em contrapartida, as espécies mais quietas, com um metabolismo mais reduzido, tendem a viver mais tempo. São exemplos disso: tartarugas e baleias. Como está demonstrado, apressar as coisas não é, de todo, solução. Deixemos a folia e o regozijo para as alturas certas. Sugiro que tentemos reequilibrar os pratos da balança. No meio, tudo leva a crer, está a virtude.
_______________________
Cuidado com os teleféricos.

17 comentários:

mrgrd disse...

Ora nem mais!!

lilipat2008 disse...

É a 2ª vez que vou escrever isto num comentário hoje:
Saber esperar também é uma virtude...:)

bjitos

Alexandra disse...

Não concordo inteiramente com isso, mas enfim, opiniões :) *

Patrícia disse...

Eu até concordo. Sou muito defensora do "devagarinho se vai longe" e faço questão de dizer isso às pessoas que me tentam apressar a vida e só me acabam é por moer o juízo.

***

Gema disse...

Por norma as pessoas da cidade, tendem a morrer mais cedo que as pessoas do campo... porque apesar de as pessoas do campo trabalharem mais arduamente, as pressões não são as mesmas que as pessoas da cidade, que têm um ritmo super acelerado.
E acho que digo tudo, com isto...
Bjs

Cat disse...

É uma boa prspectiva sobre o assunto. Nunca tinha pensado sobre o que será que raio contribuiria para a longevidade das tartarugas! **

Joli disse...

Não concordo muito xD

Maria Miguel disse...

adorei x) *

Rita Silva disse...

é preciso achar o equilibrio e ter calma :)

Wilson disse...

CONCORDO! E ponto final.

A. disse...

O equilibrio é fundamental, em tudo.
Nem 8 nem 80.

Celinha 007 =) disse...

tu continuas a surpreender-me a cada dia que passa :) eu so preciso de alguem k m acalme o metabolismo pa viver mais tempo lolol :P *

Filipa disse...

Pois, o Carpe Diem é um conceito que na sua vertente mais ampla oferece um sem número de vantagens (prazer imediato, festa, alegria) mas tem contra-partidas mais complicadas. A teoria de no meio é qe está a virtude .. é a melhor. como em tudo vendo bem.

OSNI!

Lady me disse...

Mas não é que eu concordo plenamente?? É mesmo assim, acho que isso de viver cada minuto como se fosse o último foi nos anos 80, pelo menos é o que dizem... Bem, por exemplo, muitos estudantes dizem: "quero queima todo os ano" e eu digo: "quem aguentaria queima todo o ano?" É claro que NINGUÉM, a esperança de vida dessas pessoas ia reduzir aos lotes! Por isso, cada coisa a seu tempo... Ah! E dormir, não é tempo perdido desde que não seja em demasia :)

**

Maria Francisca disse...

Gostei do teu blog. :)
Este post, poooois...
Viver calmamente, é um bocado dificil de vez em quando.
Será que conseguimos acalmar tanto os sentimentos? :)
Bolas, às vezes adorava conseguir. Mesmo.
Beijinhos*

Filipa disse...

"Existe um tempo para tudo" - já oiço isso desde a primeira classe. LOL

# Gabriela | disse...

Excelente!
Devagar se vai ao longe ;D

  © Blogger templates Newspaper by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP