A Política

sexta-feira, junho 12, 2009

«Quero deixar-vos uma palavra de confiança. De confiança em vós, de confiança nas vossas famílias e a certeza que cada um de vós, dará o seu melhor para um país mais justo, para um país mais POBRE...»

Cem vezes mais criticados que a defesa do Benfica, os políticos são, em Portugal, sinónimo de corrupção, mentira, desorganização, polémica e celeuma. Do pacato MPT ao soturno PS, a palavra de ordem é: desconfiança. É confrangedor o caos, assustadora a descrença, esmagadora a suspeita e arrepiante o cepticismo. É possível inverter esta tendência? Sem querer, de maneira alguma, influenciar quem me lê, penso que se tornou demasiado fácil, corriqueiro e, de certa maneira, populista vituperar contra a classe política. Quer queiramos quer não, não há diferenças entre o político A e o político B - pertencem todos ao mesmo saco. Um saco onde, sem excepções, são tratados de igual forma: na terceira pessoa do plural. Eles são! Eles mentem! Eles isto! Eles aquilo! Eles, eles e eles. Nunca nós. Continuo a achar que quota-parte da responsabilidade é nossa - mas isso é assunto para outro post. É verdade que existem maus profissionais. Mas daí a por em causa uma classe inteira.. upa upa puxadote. Insuspeito, como mandam as regras, de querer mal à classe política, sinto que é preciso mudar um pouco as mentalidades. Ainda existem bons profissionais que valorizam o seu trabalho, que prezam a ética profissional e demonstram sensibilidade humanitária; ainda existem pessoas de confiança. Abracemos a mudança! Viva Portugal!
_______________________
Cuidado com os teleféricos.

14 comentários:

'stracciatella disse...

Eu tinha esperanças de ler isto no teu blogue (e estou a falar a sério). Estou farta de dizer que o país nunca vai mudar enquanto as mentalidades não o fizerem, mas também falo para o boneco. É que chegámos a um ponto em que (generalizando, como é óbvio) toda a gente espera que o estado lhe resolva todos os problemas. Só querem é subsídios, regalias e afins e se cada um continua a puxar só a brasa à sua sardinha estamos todos tramados. Não digo que as pessoas não devam lutar pelos seus direitos e por melhores condições de vida, mas há que ser sensato e racional. Hoje em dia os políticos são os profissionais cujas acções estão pior cotadas na bolsa, mas ninguém pára para pensar que não é fácil trabalhar com a matéria que eles têm em mãos. Não quero com isto dizer que não há maus políticos, porque os há - como há maus médicos, maus advogados, etc. - mas o problema não é, a meu ver, o governo, mas sim os governados. Somos um país de luto, quando deveríamos ser um país de lutadores! E fico por aqui.

Um beijinho, caro Ivan *

Lady me disse...

Concordo contigo e com a 'stracciatella.

Nunca avançaremos sem uma grande mudança nas nossas mentalidades!

Pode começar por nós!

*

Joli disse...

Realmente, é verdade que a grande maioria passa a vida dizer "o Sócrates é isto! O Sócrates é aquilo!", mas também é verdade que existem malta aos pontapés "Ah e tal, isto é preciso uma mudança, ninguém quer mudar" e eles são sempre os últimos a fazer alguma coisa. Não me estou a referir a ti nem a ninguém em especial, estou só a constatar um facto. Eu gostava de saber quantas pessoas foram, por exemplo, votar na semana passada. Só assim para começar. Se calhar, muitos dos que querem tanto mudar mentalidades ficaram em casa a ver a SIC Mulher, mas enfim... quanto a isso, pouco se pode fazer xD

***

Aubergine. disse...

Subscrevo!

Daqui a uns (longos) anos, pode ser que a situação mude, ou então continua tudo na mesma, veremos ;)

Beijinho *

Daniella no Starbucks disse...

Toda a gente quer mudança, não querem é ser eles a fazê-la. Como alguem disse em cima, querem que o Estado lhes resolva todos os problemas, e como isso não é possível, agora até arrastam o "semi-deus" Obama na lama. Mas isso sao outras conversas.

Agora, que uma grande parte dos políticos só anda lá para encher os bolsos e o curriculo, isso anda. Mas como em todo o lado deve haver alguem que se aproveite.

Quanto ao Estado, desde que o Sócrates para lá entrou que virou saco de pancada. Sempre que ligo a TV está a dar uma notícia da qual é o Sócrates que tem culpa.. Se não chove e as culturas secaram, a culpa é do Sócrates. Por amor de Deus, esta gente já nem sabe o que diz.

Rita Silva disse...

Por mais que haja pessoas honestas lá é dificil para elas no meio de uma maioria corrupta.. somos um pais com uma grande historua corrupta ! e as pessoas insistem em não mudar .. acredito que e possivel mudar, mas é preciso trabalho.. veremos se algum dia será possivel !

Gema disse...

O que dizes e os outros por cima dizem, no fundo todos têm razão, mas por que é que todos apontam os dedos aos politicos??? Na realidade, os politicos é que têm culpa, porque é verdade que nem todos são maus politicos, mas esses não se mexem para correr com os que não prestam.
Vou dar um exemplo: Durão Barroso. Este tipo, quando viu que tudo estava contra ele, "fugiu" para a União Europeia, para tirar mais dividendos e isso todos lhe apontaram e ainda apontam. Mas se fores a ver, agora já se vai falando para ele vir para cá ser Presidente da Republica. Por mim, não vai de certeza.
Não sou do partido A, B, C ou D. Eu voto sempre no partido que acho melhor - já votei PS, PSD, CDU, enfim, tudo depende para que eleições estou a votar e quem está a concorrer nessas eleições.
Sem dúvida que é verdade que é mais facil apontar os dedos para os politicos, mas também temos que ver, que eles não fazem nada para mudar as opiniões, não é?
Bjs

Sandra disse...

Um post tipicamente teu :), muito bem.
Gosto desse teu espírito "revolucionário" :)

beijinho *

lilipat2008 disse...

Tens razão...a culpa é em grande parte também da sociedade...o típico português faz tudo pelas portas traseiras, e os que chegam ao poder não são excepção, daí a corrupção e as histórias que se ouvem. Obviamente que também há bons profissionais, mas acabam por ser "tapados" pelos outros...

bjs

Wilson disse...

Concordo com tudo o que foi dito aqui. O pessoal quer mudança, mas não quer mexer uma palha.

Os políticos devem ser os maus mais mediáticos neste país. Mas, como alguém, disse há maus em todas as profissões e não devemos generalizar.

O que é certo é que chegamos às campanhas eleitorais (e mesmo fora das campanhas) e "ele é que é ladrão", "se fosse eu era assim e assado", e ainda se põem a falar de assuntos que não têm nada a ver, como o Sr. Vital Moreira falar do envolvimento do PSD no caso BPN em plena campanha de eleições europeias. Bem se lixou o Avô Cantigas porque perdeu (não gosto dele, a sério, não pelo partido que representa, mas como pessoa). Ou seja, a classe política critica-se a si própria e muitos prometem mundos e fundos e chega à hora da verdade e nada do prometido é/foi/será concretizável. É óbvio que a maioria dos portugueses acha que o político é tipo Liedson: resolve tudo. Mas não é verdade. E em vez de tentarem mudar um bocadinho de nada o país resolvem trabalhar a língua e proferir expressões tão agradáveis como "Filho da p***", "Ladrão", "A culpa disto é de X!"

É por isso que vai demorar muito tempo mudar as ideias dos portugueses.

Quando eu começar a ver as novelas da TVI a perderem audiências, então existe esperança.

Wilson disse...

*Mas, como alguém disse, (...)

Patrícia disse...

Tem, definitivamente, que haver uma mudança de mentalidades, essas generalizações têm que começar a ser evitadas.
Mas, há excepções e podemos ver pela maneira que as pessoas acolheram o Obama que ele constitui uma. Só espero que assim continue e que apareça um Obama para governar Portugal.

Alexandra disse...

As pessoas estão demasiado habituadas a apontar o dedo, é sempre mais fácil. É mais fácil por sempre a culpa nos políticos, e sim, por vezes alguns têm de facto muita culpa no cartório, mas dai a serem todos, vai um passo muito grande. Enquanto continuarmos a falar na mudança em vez de fazermos alguma coisa para que esta aconteça, não vamos a lado nenhum.

Como sempre, muito bom Ivan *

dream* disse...

Os políticos deixam muito a desejar... ("para um país mais pobre"?? what? Quando o nosso próprio primeiro-ministro diz coisas destas...)
Mas também é bem verdade que é preciso estaleca para fazer alguma coisa com jeito. E as pessoas falam, e refilam, mas se tivessem no lugar deles muito provavelmente fariam bem pior... Criticar, criticar, e mexer o rabinho, não?

Mas enfim, também não gosto de política.

  © Blogger templates Newspaper by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP